Secretário-geral da NATO apoia o ataque

Ajustar Comente Impressão

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que condenam veementemente o ataque com armas químicas na cidade de Duma, em Guta Oriental, na Síria.

Stoltenber considerou que tal "reduzirá a capacidade do regime" de Asad de voltar a atacar a população com este tipo de armas.

"O ataque ocorreu em um lugar onde o regime sírio e seus aliados, a Rússia e o Irã, estão operando, e o regime já usou armas químicas".

A organização militar considera que a utilização deste tipo de armas é uma ameaça à paz e a segurança internacional e que "é essencial proteger a Convenção sobre Armas Químicas", que exige "uma resposta coletiva e efetiva por parte da comunidade internacional", completou.

"Os aliados manifestaram pleno apoio à ação destinada a danificar a capacidade química do regime e a impedir futuros ataques químicos contra o povo da Síria", declarou Stoltenberg.

O presidente dos EUA, Donald Trump, explicou que a ofensiva teve como objetivo "estabelecer um forte elemento de persuasão contra a produção, propagação e uso de armas químicas" por parte de Asad.

A ação combinou ataques aéreos e mísseis projetados a partir de navios no Mediterrâneo, segundo informou o Pentágono.

Comentários