Economia fica estagnada em fevereiro, indica BC

Ajustar Comente Impressão

O IBC-Br foi criado pelo BC para ser uma referência do comportamento da atividade econômica que sirva para orientar a política de controle da inflação pelo Comitê de Política Monetária (Copom), uma vez que o dado oficial do Produto Interno Bruto (PIB) é divulgado pelo IBGE com defasagem em torno de três meses. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB) divulgado nesta segunda-feira, apresentou expansão de apenas 0,09 por cento em fevereiro na comparação com o mês anterior, em dado dessazonalizado.

Com as quedas seguidas, a projeção dos economistas para a inflação em 2018 caminha em direção ao piso da meta deste ano, cujo centro está em 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (índice de 3,0% a 6,0%). O Boletim Focus também reduziu a expectativa para o IPCA de 2019, o valor antes registrado em 4,09% passou para 4,07% e, segue abaixo da meta de 4,25%.

Para 2019, por outro lado, o BC manteve a projeção da soma de todos os bens e serviços em 3% pela décima primeira semana consecutiva. A mediana para o IPCA este ano caiu de 3,53% para 3,48%.

Para o fim de 2019, a estimativa do mercado financeiro para a Selic continuou em 8% ao ano.

A projeção do boletim Focus para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2018, subiu de US$ 55 bilhões para US$ 55,8 bilhões de resultado positivo. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,67% e 4,00%, respectivamente.

O resultado ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters, de crescimento de 0,15 por cento, na mediana das projeções de especialistas consultados. Em um ambiente de inflação e juros baixos, mas com desemprego em alta e mercado de trabalho ainda baseado na informalidade, as vendas varejistas encolheram 0,2 por cento em fevereiro, enquanto o setor de serviços teve crescimento inesperadamente fraco de 0,1 por cento. Há um mês, estava em 6,50%. O mesmo calculo do IBC-Br também ajuda a autoridade monetária a traçar uma meta para a taxa básica de juros da economia, a Taxa Selic. A taxa básica média de 2019 foi de 7,18% para 7,20%, ante 7,68% de um mês atrás.

Comentários