Policial Militar mata ex-mulher e foge sequestrando a filha

Ajustar Comente Impressão

Ele estaria armado e em fuga em um Fiat Palio da cor cinza escuro.

Depois de a decisão ter sido publicada no Diário Oficial, Costa disse, na manhã deste domingo (15), que está com medo de ser morto.

De acordo com a PM, o policial estava afastado por problemas psicológicos e estava ligado ao 29º Batalhão, de Poços de Caldas, no Sul de Minas. O carro usado por Gilberto era de um amigo.

No local em conversa com algumas testemunhas, os militares receberam a informação de que a vítima foi até o local em companhia de outras pessoas para alugar alguns quartos, mas a filha de Cezar Luiz não concordou, pois ele já não residia na casa e não convivia mais com a ex-mulher.

Quando os policiais entraram na residência, houve troca de tiros entre a polícia e o suspeito. Em depoimento aos policiais, o acusado alegou que teria comprado o veículo de um homem em Presidente Epitácio (SP), pelo valor de R$ 40 mil e que desconhecia a procedência ilícita do automóvel. A corporação confirmou que a vítima, Sthefania Ferreira, de 29, já tinha uma medida protetiva contra o soldado.

"Todo mundo sabia que ele ia fazer isso, vivia ameaçando minha prima e dizendo que ia matá-la".

Após consulta da numeração do motor no banco de dados da polícia, foi constatado que o veículo possuía uma queixa de roubo no dia 31 de janeiro deste ano, em São Paulo.

Até o momento, o policial militar não foi localizado e não há pistas sobre seu paradeiro, mas a PM emitiu um alerta de buscas para o todo o Estado.

Comentários