Acampamento pró-Lula deve ser desmobilizado amanhã, em Curitiba

Ajustar Comente Impressão

O movimento de apoio ao ex-presidente poderá fazer manifestações até as 21h e com o uso de som até as 19h30.

Em nota à qual a Folha de S. Paulo teve acesso, a organização afirma que houve um ataque a manifestantes que atravessavam a avenida Paraná, próxima ao acampamento e outro realizado por um grupo da torcida organizada Império Alviverde, do Coritiba.

Ernani atendeu a pedido da Prefeitura de Curitiba.

Ficou acordado que os manifestantes vão desmobilizar até as 18h desta terça-feira (17) o acampamento montado próximo à Polícia Federal - podendo permanecer, em um imóvel particular, quatro tendas para prestar apoio aos manifestantes. Conforme a prefeitura, o acesso ao parque continuará normal.

Movimentação no Acampamento Lula Livre, vigília permanente montada por apoiadores do ex-presidente Lula nos arredores da sede da Polícia Federal de Curitiba (PR), nesta quarta-feira (11).

Os grupos pró e contra Lula que ocupam as redondezas da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde que o ex-presidente começou a cumprir pena pela qual foi condenado no caso do triplex do Guarujá, terão que pagar multa diária de R$ 500 mil caso não desocupem o lugar.

De acordo com o MP, as tratativas do documento foram definidas em comum acordo. Segundo ele, o caminho encontrado agradou a todos. "Um absurdo jurídico. Trata-se de tentar cercear o livre direito a manifestação".

Além dos transtornos para acessar suas residências, muitos moradores também passaram a reclamar de barulho durante a madrugada, dos vendedores ambulantes que se acumularam na região e até mesmo de manifestantes que faziam as necessidades nas ruas.

Em um vídeo, Doutor Rosinha, presidente do PT-PR, conta como foi o ataque com barras de ferro. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Sesp se limitou a dizer que a manutenção das barreiras policias "vai depender da necessidade".

Comentários