Corretora Gradual encerra atividades na bolsa de valores

Ajustar Comente Impressão

Com 60 mil clientes e investigada pela operação Lava-Jato, a Gradual Investimentos decidiu encerrar suas operações em Bolsa. No comunicado, a empresa informa que realizará as operações "apenas para zeragem e transferência de posições". Na ocasião, a proprietária da corretora, Fernanda Lima, e seu marido Gabriel de Freitas Júnior, foram presos pelos agentes. Essa operação investiga supostas fraudes envolvendo a aplicação de recursos de institutos de previdência municipais em fundos de investimentos que tinham debêntures sem lastro em carteira.

A corretora pede para clientes aguardarem mais instruções.

Para fazer a transferência de custódia, a Gradual orienta os clientes para que preencham um formulário STVM (Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários), reconheçam firma e encaminhem para e-mail custodia@gradualinvestimentos.com.br e atendimento@gradualinvestimentos.com.br. Já se o cliente fez uma TED (transferência eletrônica disponível) do seu banco para a conta da corretora e ainda não tiver utilizado o dinheiro para comprar algum papel, o mecanismo não ressarcirá o valor.

Nenhum porta-voz da Gradual foi localizado para dar mais informações sobre o encerramento das atividades na Bolsa.

A corretora detém R$ 7 bilhões em ativos sob custódia.

Comentários