Passageiros poderão despachar a própria bagagem em 7 aeroportos brasileiros

Ajustar Comente Impressão

O Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre, localizado na Zona Sul da capital, será o primeiro do Brasil a receber um sistema de autodespacho de bagagem.

Os terminais, administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), implantarão o novo sistema que promete reduzir tempo de espera do passageiro, além de otimizar espaço e estrutura para o aeroporto e as companhias aéreas.

Os outros aeroportos que terão autodespacho até o primeiro trimestre de 2019 são Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Curitiba (PR), Belém (PA) Goiânia (GO) e Maceió (AL).

De acordo com a Infraero, as duas iniciativas têm como objetivo aprimorar o atendimento aos passageiros e otimizar a infraestrutura aeroportuária.

O autodespacho de bagagem é uma solução já adotada em diversos aeroportos do mundo.

Segundo a concessionária, a solução estará em pontos estrategicamente espalhados pelos terminais e possibilitará a realização do check-in de maneira rápida e fácil, além de melhorar a capacidade de atendimento do aeroporto e das empresas aéreas.

O autodespacho de bagagens vai observar as políticas de cada companhia aérea.

De acordo com o presidente da empresa, Antônio Claret de Oliveira, as soluções são intuitivas e de fácil uso, mas os passageiros também poderão contar com o auxílio de funcionários das companhias. "Com ele, a Infraero passa a oferecer a mesma experiência aos viajantes, além de ser uma das práticas que desenvolvemos a partir da troca de experiência com concessionárias das quais a estatal é sócia", avalia o diretor de Negócios Comerciais da Infraero, Marx Martins Rodrigues.

Com a instalação dos terminais de autodespacho, todo o processo de check in deve ser simplificado: os passageiros poderão fazer o processo nos terminais de autoatendimento e, em seguida, despachar suas malas sem precisar ir até o balcão das companhias aéreas. Esses dados integrarão as informações das áreas operacional, financeira e comercial.

Comentários